1234439_196751620504518_1007558614_n-001

Descobri que encher uma casa de coisas bonitas não é a garantia de uma casa aconchegante. Também se peca pelo excesso.

Na época em que estava escolhendo o que pendurar nas paredes da minha casa, achei que devesse “preencher” todas elas! Mas com a ajuda de Maxwell Gillingham-Ryan, do livro Terapia do Apartamento, compreendi que o excesso de informação pode deixar a casa estimulante demais e isso atrapalha na sensação de tranquilidade que normalmente buscamos encontrar ali.

Não se trata de apologia a casas sem graça. Por isso, pense nas suas paredes como uma página de um bonito livro. Os espaços em branco dão destaque para as imagens e informações. Eles não precisam ser muitos, mas precisam existir.

Equilíbrio faz bem até para as paredes!

{B7290C9A-9965-4E21-A6EA-7D3973C4B3D7}_3_large

Dicas:

*Escolha as paredes menores para deixar vazias. As grandes só ficam bem quando o mobiliário do ambiente já é suficientemente interessante e ainda assim corre o risco de você sentir falta de algo.

* Uma parede vazia, mas com uma cor bacana é bem interessante.

As imagens usadas para ilustrar esse post são dos livros de Jane Cumberbatch’s, da marca Pure Style.

{260E8C5B-8E67-4769-9792-7CDC50510B78}_3_large

{3530F964-DC30-4573-9995-A055C87DB2DD}_2_large